Crítica ou opinião por Urbano da Cruz

Opinião sobre a obra de Larysa e o título da exposição

Larysa Kalinichenko e “CORES DA VIDA”

Exposição “Cores da Vida”

Falar sobre sua obra é como falar para além do arco-íris, sim para além desse fenômeno óptico e meteorológico que nos encanta a todos. A sua obra é atravessada por diversas camadas, criando uma complexa rede de leituras, numa reflexão onde acontecimentos revelantes e ideias distintas se cruzam com a intimidade de se unirem num uno, mas com uma  significância mutável, dependendo de quem as vê e sente ou como as vê e apercebe-se o que está implícito em cada uma delas.

Ela construiu e constrói a sua imagem investigando memórias e transformando realidades, faz tudo para alcançar uma verdade (ou verdades) sua que deseja venha a ser universalmente reconhecida como outra(s) verdade(s).

O estilo de Larysa pode-se considerar “nova figuração simbólica”, porque ela se apropria de formas, figuras, signos e transforma-os  ou usa-os como seus, dando sempre um cunho pessoal, representado em figuras reconhecíveis e adotando muitas vezes uma complexa estrutura narrativa e um desenho denso que transmite o imaginário pessoal, que procura a liberdade em pintar o que sente, voando entre as cores e deixando-se levar por vezes para além da razoabilidade, nas suas “CORES DA VIDA”. Larysa utiliza na sua obra vários símbolos como: o circulo – sendo ele associado ao ponto e ambos podem ser considerados como sinais supremos de perfeição, união e plenitude que representam eternidade e divindade pois não tem princípio nem fim, também representa o Universo, o Cosmo, a Totalidade, etc. o triângulo – Havendo vários tipos de triângulos e cada um com os seus significados, o triângulo abrange uma gama de significados, mas o seu sentido mais amplo significa a trindade divina que é: harmonia, perfeição e sabedoria. Também pode ser início, meio e fim, corpo, alma e espírito, bem como desenvolvimento e amadurecimento espiritual, assim como equilíbrio, etc. o retângulo – Indica solidez, estabilidade e fortaleza, bem como crescimento e sustentação, etc. o quadrado – equilíbrio na forma, materialização. Simboliza também pausa e cessação, refletindo estabilidade e perfeição, etc. Falo nestes símbolos geométricos especificamente  porque para a maioria das pessoas (são os mais comuns) são simplesmente aquilo que se vê, a sua forma ou configuração e nada mais, não sabem que nessa forma ou configuração há também muitos conteúdos ou significados assim como noutros como o pentágono, hexágono, estrela de seis pontas ou de David, espiral, pirâmide, esquadro, compasso, escada, mosaico, etc. Existem, na verdade, uma infinidade de símbolos gráficos, sonoros, gestuais, oníricos, que variam de acordo com aquilo que representam. A simbologia trata de temas tão amplos e complexos, que a ciência a estuda profundamente, em todas as suas especificidades, assim como muitos do comum dos homens.

Larysa utiliza a simbologia que lhe é querida, como uma forma de expressão plástica, numa subtileza e sensibilidade que é só dela.

É uma obra que vale a pena ser vista, observada e apreciada com a atenção que ela merece.

28 de Novembro de 2017
Urbano da Cruz

Artista Visual, Curador, Crítico de Arte, Júri de Eventos de Arte, etc.

 

1 Response

  1. Avatar Cláudia Conceição diz:

    A melhor forma para atingirmos nossos objetivos, é praticar e praticar! O velho e bom ditado permanece e se diz: a prática leva à perfeição..não importa o que os outros digam…sigamos em frente com o alvo cada vez mais próximo. Assim bem sucedeu e tem vindo a acontecer na vida da pintora Laryssa, que através da arte, expõe seus sentimentos, criatividade e originalidade. Orgulho-me da trajectória que tens vindo a percorrer, sempre em ascensão. Sucesso e T-seluiu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish